Notícias

RETROSPECTIVA 2019

Em fevereiro, Ministério da Cidadania chega a 500 mil crianças e gestantes com o Criança Feliz

publicado: 23/12/2019 19h38, última modificação: 26/12/2019 14h06
Além da ampliação da política voltada ao desenvolvimento infantil, ações da pasta no mês foram marcadas pelo apoio a famílias em Brumadinho (MG) e no Rio de Janeiro (RJ), pela campanha sobre uso de drogas no Carnaval e pelo investimento no patrimônio cultural

- Foto: Mauro Vieira/Ministério da Cidadania

A ampliação do atendimento à população mais vulnerável marcou a atuação do Ministério da Cidadania no mês de fevereiro. Naquele mês, o Programa Criança Feliz anunciava que se tornaria uma importante iniciativa para as famílias de baixa renda ao longo de 2019: já atingia mais de 500 mil crianças e gestantes do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

 

O maior programa do mundo de visitação domiciliar com foco no desenvolvimento infantil foi beneficiado por uma importante decisão do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS): em fevereiro, as famílias do Cadastro Único foram incluídas como público prioritário da iniciativa. Na ocasião, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, abordou o quanto a vitória foi importante para o desenvolvimento das crianças mais pobres: “As crianças do Bolsa Família vivem num ambiente mais estressante, em situações mais adversas que as das classes média e alta. Então, elas precisam de um apoio extra para incentivá-las da melhor maneira possível. Com o Cadastro Único, nós chegaremos ao universo das famílias que têm meio salário mínimo de renda per capita. É um contingente grande: quase a metade da população brasileira”.

 

A primeira infância também foi tema do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social, aberto em fevereiro. A escolha do tema foi fruto de uma parceria com o Ministério, como um reconhecimento de iniciativas que promovem o desenvolvimento infantil, o fortalecimento de vínculos familiares e o exercício da parentalidade.

 Leia mais notícias da série de reportagens Retrospectiva 2019

Atendimento a Brumadinho (MG)

Em fevereiro, o Ministério da Cidadania atuou no suporte às ações de assistência social em Brumadinho (MG) – que teve uma barragem rompida no fim do mês anterior, resultando em um dos maiores desastres com rejeitos de mineração do Brasil. Uma comitiva da pasta auxiliou as equipes locais no cadastramento das famílias afetadas pela tragédia, definindo ações emergenciais e futuras. O governo federal também antecipou o pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) para a população local, o que contribuiu para amenizar os danos causados a pessoas com deficiência e idosos acima de 65 anos. No total, 774 pessoas puderam sacar o benefício – que totalizou cerca de R$ 700 mil.

 

Além disso, a pasta também adiantou o pagamento do Bolsa Família em Brumadinho e liberou outros R$ 300 mil para ampliar o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) no município.

 

Apoio às famílias

Outra tragédia foi acompanhada e teve atendimento oferecido pelo Ministério da Cidadania, em fevereiro. A pasta levou apoiou às famílias de jovens jogadores do Clube de Regatas Flamengo, que faleceram após um incêndio no Centro de Treinamento Ninho do Urubu, em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Numa demonstração de apoio e solidariedade do governo federal, autoridades da pasta visitaram atletas feridos e participaram de reuniões com o governador do estado, Wilson Witzel, e com o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim.

 

Prevenção às drogas 

Próximo ao Carnaval, o Ministério da Cidadania lançou uma campanha nas redes sociais sobre a prevenção ao uso de drogas, advertindo sobre os danos causados pela dependência química. As peças alertavam sobre a alta incidência do uso de entorpecentes durante o período de festas. Na ocasião, o secretário de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro Júnior, destacou a epidemia de dependência química presente no País, responsável pelo aumento da violência e da pobreza. “Independente da droga utilizada, o indivíduo se expõe a situações de risco, algumas interferem na coordenação psicomotora, outras aumentam o comportamento agressivo, colocando em perigo não somente o usuário, mas as pessoas ao seu redor”, afirmou.

 

Patrimônio requalificado

Em fevereiro, foi autorizado o início das obras de requalificação urbanística no entorno do Sítio Arqueológico São Miguel Arcanjo, localizado no município de São Miguel das Missões (RS). Na ocasião, teve início o investimento de R$ 3,05 milhões na primeira etapa da obra, por meio do PAC Cidades Históricas. Além disso, para alavancar o turismo na região Sul do País, o ministro da Cidadania lançou a campanha “Patrimônio Cultural do Sul: Turismo Cultural como ativo para o desenvolvimento de cidades históricas”. O lançamento ocorreu no Palácio Piratini, localizado no centro histórico da capital. 

 

 

Por André Luiz Gomes

 

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:

(61) 2030-2266 / 2412

www.cidadania.gov.br/imprensa